constelação familiar

“Muita gente julga que o amor tem o poder de superar tudo, que é preciso apenas amar bastante e tudo ficará bem. (…) Para que o amor dê certo, é preciso que exista alguma outra coisa ao lado dele. É necessário que haja o conhecimento e o reconhecimento de uma ordem oculta do amor.”

Bert Hellinger

Estaremos nas próximas semanas apresentando a vcs uma serie de artigos falando sobre CONSTELAÇÃO SISTÊMICA FAMILIAR .

Nessa semana iniciaremos falando sobre os princípios básicos que regem as Constelações Familiares criada por Bert Hellinger que tive o prazer de conhecer pessoalmente em 1992.

Bert Hellinger, é um teologo, filosofo e psicoterapeuta alemão, criador de uma nova abordagem de psicoterapia sistêmica, é um pensador e investigador magnífico. No alto de seus 87 anos conseguiu atingir uma grande percepção e sabedoria a respeito da alma humana. Descobriu ao longo de 30 anos de trabalho determinado, sério e devotado uma série de leis ocultas que atuam sobre as pessoas, grupos, famílias e nações.

Tais Leis são catalogadas por Bert Hellinger como princípios básicos da constelações , que são elas:

  • A primeira lei se refere à pertinência: Todos têm o igual direito de pertencer.
  • A segunda lei se refere ao equilíbrio entre dar e receber.
  • A terceira lei diz que há uma hierarquia de tempo: os mais antigos vêm primeiro e os mais novos vêm depois.

A cada semana estaremos abordando  uma dessas leis que regem a vida de modo inconsciente na mentalidade coletiva.

Bert Hellinger as descobriu através da observação de trabalhos terapêuticos práticos que ele desenvolveu ao longo de anos. Esse processo se desdobrou e sua percepção foi se aprofundando sobre o funcionamento de famílias, casais, nações, empresas e sistemas.

Todo grupo funciona como um organismo vivo que se autorregula para permitir que sobreviva ao longo do tempo.

O trabalho é simples, pois atua com questões essenciais da vida como o relacionamento familiar. E apesar da simplicidade ele toca dimensões sutis da alma familiar (alma não no sentido religioso, mas no sentido latino da palavra, “aquilo que empresta movimento a algo”) como a dor, a vida, a morte, o amor e as separações, com isso seus resultados são vastos, complexos e profundos.

“Nós estamos liberados do mal quando podemos, serenamente, deixá-lo ir.” *******************************************************************

beijinho

Rita

 

Close