Há cegueira pior do que não querer saber?

Na idade media, negar a autoridade da igreja era um crime de morte. Durante centenas de anos, qualquer duvida sobre o que a igreja determinava como verdade incontestável, gerava consequências mortais. O simples ato que questionar era tratado como crime. Pesquisar, perguntar, duvidar, era certeza de condenação. Tanto a igreja como o estado, por não terem argumentos sustentáveis, devido a sua fragilidade de razão, necessitava de leis duras para sustentar seu controle. Ninguém tinha o direito de questionar o sagrado.


“Tende confiança não no mestre, mas no ensinamento.

Tende confiança não no ensinamento, mas no espírito das palavras.

Tende confiança não na teoria, mas na experiência.

Não acrediteis em algo simplesmente porque vós ouvistes.

Não acrediteis nas tradições simplesmente porque elas têm sido mantidas de geração para geração.

Não acrediteis em algo simplesmente porque foi falado e comentado por muitos.

Não acrediteis em algo simplesmente porque está escrito em livros sagrados; não acrediteis no que imaginais, pensando que um Deus vos inspirou.

Não acrediteis em algo meramente baseado na autoridade de seus mestres e anciãos.

Mas após contemplação e reflexão, quando vos aperceberdes que algo é conforme ao que é razoável e leva ao que é bom e benéfico tanto para vós quanto para os outros, então aceitai-o e fazei disto a base de vossa vida.”

Gautama Buddha – Kalama Sutra

“Uma vida não examinada não merece ser vivida.” dizia Sócrates, não merece, nem é verdadeiramente vivida, digo eu! Porque afinal se não pensarmos por nós próprios estaremos apenas a viver por procuração, a viver a nossa vida pelas reflexões que outros tiveram, ou afirmaram ter tido por nós.

“Pensar certo significa procurar descobrir e entender o que se acha mais escondido nas coisas e nos fatos que nós observamos e analisamos” (FREIRE, 2003b, p. 77).

Querendo saber mais,como despertar sua consciencia para o mundo e amadurecer?  esteja

conosco hoje a noite

até mais

Rita

Close