escalada projeto vemser

Ainda insisto, insistirei muito nesta iniciativa de trilhar o caminho do autoconhecimento  e buscar com isso trazer comigo quem quiser vir junto…

Algumas vezes  fazer isso é mais facil, prazeiroso, divertido até…outras tantas doloroso, sofrido, desanimador, faz parte!

A crise social em que vivemos deve-se basicamente à inabilidade das pessoas em geral para governar as suas próprias vidas. Isso é visto a olhos nus e transferir responsabilidades tem sido um caminho. Mostrar que a conquista da construção do sujeito só se faz pela tomada do ser em suas proprias mãos, choca. Ninguém quer bancar-se. Santo deus… como isso aborrece qualquer cidadão! Euzinho tenho que me carregar… não posso segurar na mãozinha de deus e seguir?

O homem nasce livre e por todo o lado está acorrentado. Mesmo quem se julga senhor dos outros; esse ainda é mais escravo do que eles.

Para onde quer que olhemos, vemos o homem a correr em círculos, como se, preso numa armadilha, tentasse em vão escapar da sua prisão e do seu desespero .

É possível escapar da armadilha? Mas para alguém sair de uma prisão, precisa primeiro saber que está numa prisão. A armadilha é a estrutura emocional do homem, a sua estrutura de carater. Pouco adianta elaborar sistemas de pensamento sobre a natureza da armadilha, quando a única coisa que importa é encontrar a saída.
Todo o resto é inútil: é inútil cantar hinos sobre o sofrimento na prisão  como fazem os escravos negros; é inútil compor poemas sobre a beleza da liberdade fora da prisão,tal como sonhamos com ela de dentro da prisão; é inútil prometer uma vida fora da prisão, após a morte, como faz o Catolicismo às suas congregações; é inútil confessar, como os filósofos da resignação, um semper ignorabimus; é inútil elaborar um sistema filosófico em torno do desespero de viver na prisão, como fez Schopenhauer; é inútil sonhar com um super-homem totalmente diferente do homem cativo, como fez Nietzsche, que, ao acabar preso num asilo de loucos, finalmente escreveu − muito tarde − a verdade sobre si mesmo…

A primeira coisa a fazer é procurar a saída da prisão.
A natureza da armadilha só apresenta interesse na medida em que ajude a responder a esta única questão crucial: ONDE FICA A SAÍDA?
Pode-se enfeitar a prisão a fim de a tomar mais habitável. Isto fazem-no os Miguel Ângelos, os Shakespeares, os Goethes. Podem-se inventar artifícios para prolongar a vida na prisão. Isto fazem-no os grandes cientistas e médicos, os Meyers, os Pasteurs e os Flemings. Pode aparecer alguém muito hábil em tornar a soldar os ossos quebrados dos que caem na armadilha. Mas o essencial ainda é: encontrar a saída da prisão.
ONDE FICA A SAÍDA QUE CONDUZ AO INFINITO ESPAÇO ABERTO ?
A saída continua escondida. Este é o maior enigma. Mas vejamos a situação mais ridícula e, ao mesmo tempo, mais trágica:

A SAÍDA É CLARAMENTE VISÍVEL PARA TODOS OS QUE ESTÃO PRESOS NA ARMADILHA. MAS NINGUÉM PARECE VÊ-LA. TODOS SABEM ONDE FICA A SAÍDA .  MAS NINGUÉM SE MOVE EM DIREÇÃO A ELA, PIOR AINDA QUEM QUER QUE FAÇA QUALQUER MOVIMENTO EM DIREÇÃO À SAÍDA, QUEM QUER QUE A INDIQUE , É DECLARADO LOUCO ,CRIMINOSO , PECADOR DIGNO DAS CHAMAS DO INFERNO.

No fim das contas o problema não está na armadilha, nem mesmo em descobrir a saída.

O problema está nos prisioneiros.

Visto de fora da prisão, tudo parece incompreensível para uma mente simples. Há mesmo qualquer coisa de insano.

Porque é que os prisioneiros não vêem a saída tão nitidamente visível, porque é que não se dirigem para ela?

Logo que chegam perto,começam a gritar e a fugir. Se algum deles tenta sair, os outros matam-no. Muito poucos conseguem escapulir-se durante a noite, quando todos dormem.Esta era a situação na qual se encontrava Jesus Cristo. Este foi também o comportamento dos prisioneiros que intentavam matá-lo. A função da Vida viva está à nossa volta, está em nós, nos nossos sentidos, mesmo à frente do nariz, nitidamente visível em cada animal, em cada árvore, em cada flor.

Sentimo-la no nosso corpo e no nosso sangue. Mas para os prisioneiros ela continua a ser o maior, o mais impenetrável dos enigmas.

No ponto em que estão as coisas, é bem mais importante esclarecer o assassinato de Cristo do que educar as mais lindas crianças. Toda a esperança de acabar com a decadência da educação atual estaria perdida para sempre,irremediavelmente, se esta nova e promissora tentativa para chegar a um novo tipo de educação se malograsse e se transformasse no seu oposto, como sempre foi o caso de todas as iniciativas tomadas pela alma humana. Não nos enganemos: a reestruturação do carater humano através de uma transformação radical, sob todos os aspectos, da nossa maneira de educar as crianças tem a ver com a própria Vida.

As emoções mais profundas a que o animal humano pode chegar ultrapassam de longe todas as funções da existência, pela sua envergadura, profundidade e fatalidade. Assim, os males que o fracasso ou o desvio dessa tentativa decisiva trariam, seriam bem mais profundos e maiores. Não há nada mais destrutivo do que a Vida anulada e contrariada por esperanças frustradas. Jamais nos esqueçamos disto.

Coragem turma do curso do Evangelho a luz do Psiquismo Humano, não desistam, continuem  estudando, a transformação é profunda, a envergadura necessaria é grande mesmo…não se assustem, mas vale a pena. Iremos além das aparentes aparências… mas os resultados serão  reformadores.

Ate mais

Beijinho

Rita

Close