“Que seja um caso em mil. A verdade é que ninguém vai cair do céu com um contrato prontinho pra você assinar. É preciso se expôr sem medo de dar vexame.
É preciso colocar o trabalho na rua. É preciso saber ouvir um não e, depois de secar as lágrimas, seguir batalhando. Arriscar, é o nome do jogo. Muitos perdem, poucos ganham. Mas quem não tenta, não tem ao menos o direito de reclamar.”


Sabe aquele dias em que a magia está no ar?  Coisas aparentemente simples acontecem e nos deixam extremamente felizes,  como a ligação de um amigo,  a publicação de um texto, o bom dia animado do atendente da padaria, uma prima que acabou de dar à luz,  outra que se encontrou no novo emprego…

Ontem parei para pensar nisso,  pois nem sempre somos atentos ao mágico,  ao lúdico,  ao simples.  Uma notícia negativa tem um impacto estrondoso.  E a positiva? Alegra,  mas passa logo…  Será que temos a programação cerebral invertida? Uma fofoca,  uma resposta atravessada,  o pé esquerdo que toca o chão antes do direito,  é capaz de nos desestabilizar,  apesar de semanas de calmaria…

Por que será que as pessoas que estão num leito de hospital,  às vezes,  com suas vidas presas a um tudo ou a uma máquina,  ainda nutrem uma forte vontade de viver?  Porque,  inconscientemente,  todos sabemos que cada dia é um dia e que tudo pode mudar.  Sabemos que mesmo nas situações mais controversas,  o que nos faz querer voltar a viver são os momentos felizes que tivemos durante anos, meses ou minutos atrás.

Analiso as pessoas que têm essa vontade de viver com admiração. Tiro delas coisas que anos de análise não poderão me dar. Quem é capaz de superar a barreira da dor,  do desamparo,  da solidão,  da doença,  do fracasso,  renasce mais forte como fênix.  Olha a vida com outros olhos.

Penso no quanto é importante o ar que atravessa o tubo,  o sangue que alguém doou voluntariamente, a palavra de incentivo sem cobrança, o xampu que amacia o cabelo, o cheiro do feijão que escapa da panela de pressão, o café da manhã, o sorriso desdentado de uma criança, a piada sem graça que seu amigo insiste em lhe contar…

Tudo isso é simples, mas mágico. Quem te disse que o mágico é complicado? Pare por um minuto e lembre de coisas simples que o surpreenderam ou o alegraram. Posso ver agora um sorriso tímido brotar nos seus lábios. Sugiro que todos anotem em sua agenda, no diário ou num papelzinho colado na geladeira os eventos mágicos que aconteceram no seu dia.

Assim,  nos dias tristes,  ao fuçarmos no baú das nossas coisas e memórias,  sempre haverá um motivo para comemorar, além de estarmos vivos e respirando.

Isso  é pura magia!

Bjs da Rita

Close