images (1)
  •  Prefiro ser um lobo solitário, do que vestir uma pele de cordeiro e fingir ser quem eu não sou. Entenda lobos são lobos.  images (1)
Recebo com uma certa frequencia um tanto de emails por dia…trato aqui um que me pareceu, a princípio, interessante: uma pessoa se queixava de que, apesar de ser um ótimo leitor na juventude, já não conseguia ler, pois já não suportava sentenças longas sem se dispersar, cansava ante argumentações mais complicadas e tinha inúmeros livros começados e não terminados. A exposição do problema era muito boa, e seria um excelente texto, se não terminasse de forma bem surpreendente: a mesma pessoa que se queixara ao princípio, de repente, conclui que aquilo não era negativo, mas apenas uma adaptação às novas necessidades dos tempos, e que isso seria “inevitável”, pois sempre acontecera, na história… Que os povos já se “adaptaram” a muita coisa, não duvido, mas que isso seja positivo?
Se alguém é disperso e precipitado em suas avaliações, superficial na sua leitura dos fatos, isso pode ser positivo para alguém, mas NUNCA para ele mesmo
Como diria um mestre amigo: “Na minha terra, o povo usa um nome diferente para isso!” Sim; o nome disso, na minha terra, no sonhado país dos homens conscientes e responsáveis pelo que são e o que pensam, o nome disso seria “estupidez”.
Prazer em não pensar:
Que terrível síndrome de comodismo esta, que faz com que cada vez se pense menos e não se perceba e, quando o percebam, não achem importante, pois pensar só dá trabalho, e o homem só valoriza o prazer. Alguns estão virando cascas vazias, marionetes, e gostando disso.
A Filosofia nos ensina que, quem não se conhece, não se ama nem se respeita, e “vende a alma” por qualquer superficialidade, conforto ou interesses egoístas. Consciência para que? Pensar é ruim, dá trabalho, cansa… Acham que o mundo moderno pensa muito porque sabe das “ondas gravitacionais”. Além do fato de que a compreensão profunda do que são as tais ondas gravitacionais seja privilégio de um pequeno punhado de cientistas no mundo todo, temos que ver que esse mesmo “punhado” não adquire, por conta deste conhecimento, condições melhores para que seu filho não seja sugado pelas ondas da moda. E os filhos da droga e da prostituição não terão, amanhã, mente suficiente nem para entender as ondas dos lençóis das suas camas, de onde não terão vontade suficiente para sair.
Onde isso nos afeta?
Poderia falar do artigo do dia de todos os nossos jornais, que é a manipulação de pessoas inconscientes por péssimos políticos, ou o uso de milhares de jovens de forma torpe por traficantes ou terroristas. Isso está no jornal de hoje e estará no de amanhã, confrontando-nos dolorosamente. Todos lemos e dizemos: “Como alguém pode acreditar nisso e ser usado desta forma?” Ok, essa indignação está correta, mas, que tal chegarmos um pouco mais perto de nós mesmos e de nossas próprias ações?
Não há um dia (sem exageros!) em que eu não abra meu computador e não receba compartilhamentos de notícias científicas falsas, que não foram checadas, críticas a projetos de lei fictícios, que nunca existiram, frases supostamente ditas por “Shakespeare” ou “Einstein”, que engasgariam esses gênios de tanto rir, ou histórias de todos os tipos, sempre com vítimas estereotipadas e repetitivas: velhinhos enganados, esposas ou maridos revoltados, pessoas que sofreram assédios imaginários, mães “dedicadíssimas” que perderam seus filhos, jamais por erros próprios, mas “por culpa de alguém”, mentirosos contumazes “buscando a verdade…”… Um segundo para ler, e clic, curtir ou compartilhar.
Já perdi as contas, também, de quantas dessas histórias, depois, se mostraram como mentiras, que tinham por trás vigaristas, com um curriculum de crimes quilométrico oculto em suas carinhas de vítimas, explorando os sentimentos dos outros para enganar, chantagear, extorquir ou difamar alguém, segundo seus torpes interesses pessoais.
Torturadores envelhecem, pilantras envelhecem,mulheres completamente sem caráter existem e podem ter filhos (até insetos podem!) etc etc E lá vamos nós, apoiando as campanhas das pobres vítimas: velhinhos, mãezinhas…bandidos, muitas vezes.
Pensar não dói!
Dói ser injusto por preguiça mental .
Dói colocar o nome embaixo de invencionices absurdas, calúnia, extorsão, difamação, mentira de todo tipo só porque os manipuladores usaram “palavras-chave” que te fazem apertar botões sem nenhuma reflexão.
Ver uma bala entrar por um lado e sair por outro e não perguntar para onde ela foi! Acusar inocentes…Ao descobrir que manipularam nossos bons sentimentos para cometer injustiças e que nós, por estupidez e preguiça, o permitimos…isso dói bastante.
Ok, se não quer pensar…não julgue!
Eu me chamo…
Rita de Cassia Antunes de Oliveira …Trabalho como psicoterapeuta existencial,filosofa,  psicanalista . Há 27 anos atuo de forma voluntaria na area do desenvolvimento humano. Fundadora , atual presidente do Projeto  Vemser . Gosto e me orgulho de meu trabalho. Meu dever é acreditar no ser humano… e o faço. Mas confiar no que o homem pode vir a ser e trabalhar para isso não significa  fechar os olhos para o que ele é agora. Isso é ingenuidade, que não ajuda a ninguém. O famoso poeta Victor Hugo dizia: “Toda compaixão deve ser inteligente. Quem poupa a vida aos lobos, condena à morte as ovelhas.” Seja prudente contra os chamados “lobos em pele de cordeiro ”.
Pela quantidade de homens assim que existem por aí, me admira que a ovelha já não seja um animal em extinção.
Close