transum-5

transum-5O mundo de fora muda sempre que muda o observador.

O observador. Aquele que define para si o que de fato é realidade a partir das experiências pessoais e do quanto é capaz de vincular umas às outras, projetando significados.

A “realidade” de fora se relativiza diante do significado produzido pelo observador.

O importante é aprendermos a desenvolver o observador em nós, quanto tempo isso pode ser necessário? Não sei…Mas o quanto antes iniciar o processo melhor, caminho de cura, dissociação de um universo de hiperealidades, ilusões e sofrimento.

O convite do aprendizado aqui é dissociar os elementos corpo , mente, observador. Corpo desejante, Mente desejante…que não param de desejar um só instante. Um cabo de guerra incessante. Ora um deseja e preciso filtrar até quando, ora outro, e passo a filtrar o limite do necessário. Bem diziafilósofo Hobbeso homem é o lobo do homem.(Leviatã), capaz de aniquilar a si mesmo , se não encontrar um justo que o governe.

O convite do corpo são suas necessidades:  comer, dormir, ir ao banheiro, tanta coisa… E ele vai continuar necessitando. A natureza da matéria é ser reposta, pois ela se desgasta A questão é se você atende ou não o chamado.É sua prioridade ou não?

Por isso convidei a dissociação – corpo, mente, observador.

Quem é você? Seu corpo? Você é sua mente? Ou você é o observador?

Enquanto lê esse texto, percebe seus olhos correndo por entre as letras, vc não são os seus olhos, eles estabelecem um contato com sua necessidade de captar a realidade visual, os olhos fazem parte do corpo. O conteúdo que lê , é processado em seu cerebro, que faz parte do seu corpo, porém esta sendo associado com tudo que já aprendeu, com seu banco de dados, com suas memórias, que esta na sua mente, que também armazena, toda a informação que ouve durante o dia, que registra as falas das pessoas ao seu redor, que combina com os valores das pessoas que te criaram , os moralismos sociais na cultura que esta inserido, esta é sua mente, que esta nesse momento, avaliando se esta ou não gostando do que esta lendo, se isso tem ou não razão, se é ou não relevante, se vc quer ou não continuar lendo, ou se essa pessoa que esta escrevendo esse texto surtou, ou pode ser levada a sério…isso que esta acontecendo nesse momento dentro de vc, somado ao que sente é resposta da sua mente. Agora respire profundamente, e observe-se sentada de frente ao computador, lendo, note seus cabelos, seu semblante, observe os sons ao redor, olhe essa pessoa que esta a sua frente tentando entender esse texto…quem é essa pessoa? como sene essa pessoa ? Ela lhe parece cansada? Desconhecida? Esquecida? Pois é nesse momento vc se transformou em observador de si mesmo…esse que vc acabou de observar foi a construção da sua mente ao longo dos anos…é quem vc, EU VERDADEIRO quer continuar a ser?

Você não é o corpo, nem a mente. E enquanto estiver identificado com o corpo e com a mente brulhenta, cheia de informação, sensação, sentimento, você será vítima do desejar. O desejar é um poço sem fundo. A questão não é realizar um desejo ou outro, mas sim interromper o desejar. Atender um desejo é simples, pois é o ponto específico. O problema esta no pra quê?

Você quer uma roupa nova? Você vai e compra uma roupa nova. Quer um carro? Vai e compra um carro. Quer um emprego novo? Você conquista um novo emprego. Isso é simples. Para alguns é um pouco difícil, mas é questão de tempo para se tornar fácil. Questão de tempo para superar ódio por si mesmo  que se manifesta de não parar de realizar os seus desejos. A questão é: quanto tempo dura a satisfação alcançada na realização desse desejo?  O que se faz com a euforia, o desespero por tras do ser desejante? . Por trás desse desejar existe uma falta de clareza da sua identidade. Podemos dizer que o desejar nasce de uma crise de identidade, porque por mais que esteja identificado com o corpo e a mente, você sabe que isso não é você. Por que você sabe? Por conta do buraco, este vazio que nunca se preenche e quando você atende o desejo esse vazio é preenchido temporariamente,por uma fração no tempo, a sensação de conforto se dá.

Por exemplo, você compra o carro novo e estende a sua identidade para o carro. Você dirige o novo carro e sente que você  é o carro. Neste momento você não tem uma crise de identidade. Você acha que você é o carro, que você é que esta forte, indo, observado, desejado, poderoso…mas logo você percebe que você não é o carro, pois precisa descer do carro para entrar na padaria, farmácia, restaurante, lugares em que  por um momento as pessoas não viram que vc tem aquele carro…. O entusiasmo desse encontro com a identidade é efêmero porque passa muito rápido. Aí você tem um desejo de construir uma casa; você leva mais tempo porque tem que desenhar; que construir até que este desejo é atendido e mais uma vez você sente: “Eu sou esta casa”. Parece ter encontrado a referência de quem é você, mas logo o vazio volta de novo e aí você quer encontrar um namorado, quer casar. Com raras exceções após três dias você descobre que também não é você. Durante três dias você diz: “Ah, esse sou eu”. Desfila com o namorado, ou namorada, mas não é possível sustentar essa identificação por muito tempo. Sente muuuuuita aflição tod vez em que ele/ ela não esta perto, pois não sente poderoso, feliz, forte quando não esta ao lado do objeto amado.Vc não é ele/ela!

Existe um estudo científico na neurociência que determina o tempo da paixão. Dura no máximo três anos por causa da química que é liberada pelo cérebro. E aí se existe maturidade para atravessar a noite escura, o casal pode chegar ao amor. Caso contrário vão continuar procurando, mas o fato que três anos, meses ou dias, não faz diferença. A questão é que a referência de identidade se desfaz com o tempo e você continua com o vazio e desejando.

A forma que a entidade encontra para aliviar esse vazio, e entenda este vazio como uma profunda angústia, é obtendo coisas, não importa se é pessoa ou objeto. Isso é assim. Qual a natureza de um buraco negro? É atrair tudo o que está ao redor.

Buraco-negro-no-centro-da-Via

Parece que tentar interromper esse desejar não é inteligente. Não é sensato porque você está lutando contra uma tremenda força e que talvez sua mente seja muito pequena diante dela. E não há nada de errado com a natureza do desejo. Desejar não é verdadeiramente o problema, espero que entendam isso, tá tudo certo…. O que causa dor, desconforto, ou desequilibra o ser, está em  acreditar que você é o corpo e a mente que deseja.Porém ainda não é esse o VERDADEIRO VOCÊ!

Às vezes, nesse processo de mudança de eixo de identificação você se propõe a uma firmeza de proposito inteligente. Você se propõe a não dar um determinado alimento para uma compulsão específica dentro de você, como  a história do Lama tibetano que estava no Ocidente encantado com o iogurte. Estava numa conferência e havia iogurte de sobremesa e ele na fila atento a quem pegava iogurte, e quem não pegava iogurte e observou que ficava com raiva quando alguém pegava iogurte, porque estava com medo que não sobrasse para ele. Até que chegou a vez dele pegar e ele disse: “Não vou dar iogurte para esse viciado dentro de mim.”

Se você pode compreender a natureza do desejo e está em condições de dizer: “Esse aqui não sou eu; eu não vou dar droga para esse viciado dentro de mim.” WOW! Se você pode reconhecer a voz do eu inferior dentro de você e não dar alimento para ela, você adquire uma vitória. É uma vitória do EU SUPERIOR em você. Essa dureza/firmeza de proposito precisa ser inteligente porque se você simplesmente reprime o desejo, ele se torna mais forte.Quem manda em quem?

Quando temos um proposito, óbvio que passamos por provações, por isso falamos em proposito inteligente, e só conseguimos ir ao encontro de um propósito assim com compreensão.

Compreender um proposito na vida, em busca de saber-se observador da mente e do corpo, e traçar metas em seu processo de evolução é necessário humildade e mais ainda transparência, pois é muito fácil passar pelo auto engano. Não adianta interditar um caminho e no meio da estrda decidir andar só um pouquinho por lá…como no caso do yogurte, comer então só uma colheradinha, não existe só um pouquinho…acabou!!!! Assim que se abre as portas para compulsão…

Propósitos inteligentes nos convidam a desafios! Justamente por estar redirecionando os vetores da vontade!

A mente que, sabe se lá há quantas vidas, estava viciada em satisfazer os sentidos, correndo atrás de alegrias passageiras, sempre atrás de algo lá fora para trazer o sentimento de preenchimento e contentamento. Mudar o curso dessa compulsão é desafiador. Requer mesmo bastante determinação; requer disciplina; requer firmeza.

Isso não quer dizer dor…

O caminho da evolução é alegria.

Se consegue atingir seu proposito inteligente em paz, desfrute. Se nessa trajetoria, receber instrumentos que te ajudem a fazer  o caminho de forma mais tranquila, atravessar “o vale das sombras” e da morte em gloria…”glória”!

Não precisa estar com a cara na lama, para entender a lama.

Caiu, levanta e estando de pé fique atento para observar o que é que te derruba? Até que você possa não mais cair.

Normalmente o que te derruba é um desejo.

Até breve

beijinho

Rita

Close