projeto vemser

Escutamos ao nosso redor sobre luta cotidiana, chega de combate… aposente as luvas de boxe!
Quando a gente dribla os conflitos, semeia a paz ao redor. Sem serenidade não abrir-se-ão portas de prosperidade.

As forças espirituais organizadoras, os  mentores, os campos mais harmônicos só se aproximam de mim quando me coloco na paz.

Seja qual for a ajuda que esteja precisando, não dá outra: só obtenho o que preciso quando estou na PAZ.

Então pergunto: Afinal, qual é a minha batalha? O que está sequestrando minha paz?

Ouço minha alma, observo meu corpo, e na sequencia, consigo identificar zonas de conflito, aspectos de minha vida que preciso organizar. Pois é… nesse lugar preciso serenar… Imediatamente observo meus movimentos em relação a essa cena, e começo a mudar minhas atitudes, começo a diminuir cada fala, cada movimento, coloco-me ao canto, e respiro, relaxo, e apenas observo… liberto meu espírito de guerreira, e nesse mesmo instante os campos energéticos começam a transmutar, sintomas físicos podem acontecer… uma certa moleza no corpo e até alguns bocejos. Isso significa que estou saindo do astral da guerreira, que sempre me faz encontrar inimigos. E porque não aceitar que por detrás de uma heroína sempre existirá a vitima?

Dever haver outras maneiras de lidar com essa situação sem guerrear… até hoje busquei esse caminho, pois desconhecia outras formas de  fazer melhor por mim, irei relaxar, soltar meu braços, minhas costas e minha rigidez de guerreira forte. Guardo essa armadura e energia para ter firmeza e bancar uma série de outras coisas, mas não para guerrear com meus oponentes. Não vou convencer ninguém a nada. Eu quero estar na paz porque assim, tudo tem um jeito. Eu opto por essa postura. (Repito isso quantas vezes forem necessárias, virará meu mantra).

À medida que o estresse vai cedendo, sua motivação, disposição, vitalidade e vontade vão ganhando espaço.

Qual é o outro ponto da sua vida que você podia entrar em paz? Pense nele e adote a mesma estratégia. Vá soltando a guerreira/o em você. Quanto mais você estiver na paz, em vários aspectos da sua vida, mais as placas de tensão vão começar a se destacar do seu corpo. As reações físicas? Novamente virão o bocejo, a sensação estranha de moleza ou mesmo de sono. Mas tudo vai embora depois. Porque a paz viabiliza a funcionalidade.

Uma das coisas extraordinárias da paz é a capacidade de abençoar. Seja o que for que lhe parecia complicado e difícil de resolver, abençoe. E coloque o bem acima de qualquer dificuldade. A única coisa que consegue ser boa em si mesma, por ela mesma é a BONDADE. Não é ter passividade. É mudar o modo de agir. Mas sem guerra!

Persevere na manutenção desse pensamento de serenidade.

Caso a figura da guerreira/o queira ressurgir dentro de você, volte-se de novo para a paz. Vá ouvir uma música, faça uma atividade gostosa, mas não guerreie. Com ninguém, nem consigo mesma/o. E nem fique cultuando o assunto que lhe atordoa. Dê tempo para que o Universo flua e aja em você …pois as coisas tem seu próprio tempo, e com nossa maneira doentia de pensar interferimos muito, alterando no processo e nas relações das coisas em nós…

Agir na paz é um exercício de fé

beijjinho

Rita

Close