Arquivo de Tags amor

grudenta-640x419

Pela defesa de quem só quer se relacionar e é acusado de ser grudenta Já ouvi muitos homens, mas principalmente mulheres dizendo que foram acusados de grudentos ou carentes em seus relacionamentos, é preciso esclarecer algo importante sobre o assunto. Demonstrações de afeto, elogio, apreciação, cafuné me parecem os princípios básicos de um relacionamento. Precisamos disso nos primeiros anos de…

casamento-indiano-trazendo-outra-cultura-para-o-grande-dia-6

Aqui no Brasil, comemoramos a data comercial do Dia dos Namorados no dia 12 de junho, através de minhas pesquisas descobri que na maioria dos outros países comemora-se no dia de São Valentim, em 14 de fevereiro. No Japão e em outros países asiáticos, virou uma febre presentear amigos e parceiros com chocolates e doces finos.Cada um presenteia, faz suas…

394242_157096714413939_140873158_n

CONTO: A DESPEDIDEIRA Há mulheres que querem que o seu homem seja o Sol. O meu quero-o nuvem. Há mulheres que falam na voz do seu homem. O meu que seja calado e eu, nele, guarde meus silêncios. Para que ele seja a minha voz quando Deus me pedir contas. No resto, quero que tenha medo e me deixe ser…

constelação familiar

“Muita gente julga que o amor tem o poder de superar tudo, que é preciso apenas amar bastante e tudo ficará bem. (…) Para que o amor dê certo, é preciso que exista alguma outra coisa ao lado dele. É necessário que haja o conhecimento e o reconhecimento de uma ordem oculta do amor.” Bert Hellinger Estaremos nas próximas semanas apresentando a…

amor projeto vemser

Morrer por uma paixão impossível é prova banal de covardia.  Os fracos quedam-se! Os fortes... seguem em frente! SEGUNDO ALTAR Fabrício Carpinejar Não tenho nenhuma compaixão por Romeu e Julieta. Eles não experimentaram nenhuma crise de relacionamento antes do fim. Nenhuma discussão no trânsito. Uma briguinha para quem iria se levantar para chavear a porta. Não reclamaram dos excessos, da…

projeto vemser John Lennon & Yoko Ono

O amor nunca morre de morte natural. Añais Nin estava certa. Morre porque o matamos ou o deixamos morrer. Morre envenenado pela angústia. Morre enforcado pelo abraço. Morre esfaqueado pelas costas. Morre eletrocutado pela sinceridade. Morre atropelado pela grosseria. Morre sufocado pela desavença. Mortes patéticas, cruéis, sem obituário e missa de sétimo dia. Mortes sem sangramento. Lavadas. Com os ossos…

Close